terça-feira, 22 de maio de 2018

SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO - Confissões

Para melhor nos preparamos para as Festas da Catequese e assim podermos acompanhar os nossos filhos, afilhados, sobrinhos ou catequizandos, haverá CONFISSÕES para pais, padrinhos, outros familiares e catequistas,  na próxima quinta-feira dia 24, às 21h30, na capela de S. Martinho.

ENCONTRO

Reunião/Encontro: Grupo de Lutos e Perdas (MECs, Pastoral da Família, Pastoral da Saúde e todos os que desejarem), na quarta-feira dia 23 de Maio, às 21,30 no Centro Paroquial.

A propósito do tema, aproveitamos para disponibilizar PowerPoints cedidos pelo Pe. Jorge Vilaça, das Catequeses Quaresmais 2018 - (Vidas(s) Depois de Mortes.

HOMENAGEM

A Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso prestou homenagem a pessoas e grupos da Freguesia, entregando-lhes a medalha de mérito. A Comissão de Festas de S. Pedro e o P. José Manuel estiveram entre os agraciados. Muitos parabéns.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

SEGUNDA-FEIRA DEPOIS DO PENTECOSTES

 VIRGEM SANTA MARIA, MÃE DA IGREJA 
Desde toda a eternidade,
Sois a eleita do Senhor,
Virgem Santa, Mãe de Deus,
Te cantamos com fervor:

Ave, ave! Ave Maria! (2x)

És a estrela da manhã,
Que anuncia o tempo novo;
Mãe de Deus e Mãe dos homens,
Ouve a prece do teu povo:

És a aurora que precede
O divino Sol da graça:
A alegria resplandece
Onde a tua sombra passa:

Nos perigos és auxílio,
Protecção de quem te chama,
És Senhora, és Rainha
da Igreja que te aclama:

O ESPÍRITO SANTO E NÓS

Todas as tuas criaturas, Senhor,
Respiram, vivem, sorriem,
Cantam,
Por causa do teu alento criador.

O teu pão de mil sabores
Sacia todas as fomes e todas as dores,
A tua Palavra bela e plena de harmonia
A todos envolve e alumia,
Irmana, aconchega e alivia.

Por isso,
Ainda que espalhados pelos quatro cantos do mundo,
Continuamos todos reunidos no Cenáculo,
A primeira Catedral da Igreja nascente,
Mas com ramificações em todas as casas,
Em todos os corações,
Bem assente em quatro colunas:
O ensino dos Apóstolos,
A comunhão fraterna,
A fração do pão
E a oração.

Com a boca cheia de louvor,
Os olhos de graça,
As mãos de paz e de pão,
As entranhas de misericórdia e de perdão,
A comunidade bela crescia, crescia, crescia.
Não admira.
Era tão jovem, leve e bela,
Que as pessoas lutavam por entrar nela!

Envia, Senhor,
Sobre nós,
O teu vento,
O teu alento,
O teu Espírito,
E renova por favor e amor
A nossa face
E a face da terra.

D. António Couto

D. ANTÓNIO MARTO, Bispo de Leiria-Fátima: novo Cardeal nomeado pelo Papa Francisco

Como é do domínio público, o Santo Padre escolheu para com ele trabalhar mais de perto no governo universal da Igreja, elevando-o à dignidade cardinalícia, o atual Bispo de Leiria-Fátima, D. António Augusto dos Santos Marto.

O novo Cardeal realizou parte da sua formação sacerdotal no nosso Seminário Maior do Porto e, após o doutoramento em Roma, a ele voltaria como formador e prefeito de estudos, em 1997. Ao longo de vinte e três anos, até 2000, ano da sua eleição para o Episcopado, exerceu, entre nós, uma intensa atividade docente e pastoral. Na nossa cidade, lecionou no Instituto de Ciências Humanas e Teológicas, no Centro de Cultura Católica e no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa (Faculdades de Teologia e de Direito), vindo a ser eleito para Diretor-adjunto da Faculdade de Teologia. Ao mesmo tempo, percorreu a Diocese em conferências, pregações e até na preparação para o Crisma, de cuja atividade viria a resultar uma obra em dois volumes.

É de todos conhecida a simpatia que D. António Marto devota ao Porto: aqui tem muitos dos seus melhores amigos e por aqui passa sempre que a agenda lho permite. E também é notória a recordação carinhosa que a Igreja do Porto dedica a quem com ela tanto se relacionou.

Por tudo isto, a Diocese do Porto participa do imenso júbilo com que os amigos celebram esta feliz escolha de D. António Marto para o Cardinalato, agradecem muito ao Santo Padre e pedem ao Espírito de Deus cumule de graças e de bênçãos quem, a partir do «sagrado colégio», é agora chamado a ajudar o Papa Francisco na tarefa da renovação da Igreja, de modo a corresponder cada vez mais ao rosto do Ressuscitado e a constituir-se sinal de esperança para este mundo globalizado, mas também com fortes convulsões. Pelos seus dotes de sabedoria, fina sensibilidade pastoral, reconhecido otimismo e plena adesão à fé católica, o Cardeal D. António Marto constituirá uma forte mais-valia para a Igreja universal e para o mundo que servimos.

Enquanto o felicito vivamente em nome de toda a Diocese, também lhe asseguro a certeza da nossa oração. Iguais sentimentos dirijo ao Papa Francisco, ele que, como tantas outras vezes, nos surpreende com a ousadia típica de um «homem de Deus».

Porto, 20 de maio de 2018

+ Manuel, Bispo do Porto

ANIVERSÁRIO DO AGRUPAMENTO DE ESCUTEIROS 321

💗 Parabéns! 
E continuação de muitos anos de caminhada.
 
 
 
 
 
 

Fotos de Olinda Paulo
Veja a história do Agrupamento em 

COMISSÃO DE FESTA DE S. PEDRO

Preparando a festa de S. Pedro, a Comissão de Festas de S. Pedro ofereceu a quem quis participar "Porco no espeto". 
 
 
 
Bom trabalho e muito obrigado a todos os que cooperaram para que o evento fosse um sucesso.

sábado, 19 de maio de 2018

FOLHA DOMINICAL: informações e reflexões importantes para toda a comunidade

DOMINGO DE PENTECOSTES

SALMO RESPONSORIAL Salmo 103 (104), 1ab e 24ac.29bc-30.31.34 (R. 30) 
Refrão: Enviai, Senhor, o vosso Espírito 
e renovai a face da terra. 

Bendiz, ó minha alma, o Senhor. 
Senhor, meu Deus, como sois grande! 
Como são grandes, Senhor, as vossas obras! 
A terra está cheia das vossas criaturas. 

Se lhes tirais o alento, morrem 
e voltam ao pó donde vieram. 
Se mandais o vosso espírito, retomam a vida 
e renovais a face da terra.

Glória a Deus para sempre! 
Rejubile o Senhor nas suas obras. 
Grato Lhe seja o meu canto 
e eu terei alegria no Senhor. 

ORAÇÃO DO TERÇO

Quinta-feira, na Capela de S. Caetano, 
com os Acólitos
Rezamos o Terço da Paz
e meditamos os mistérios Luminosos
«Felizes os pacificadores, 
porque serão chamados filhos de Deus»

Os pacíficos são fonte de paz, constroem paz e amizade social. Àqueles que cuidam de semear a paz por todo o lado, Jesus faz-lhes uma promessa maravilhosa: «serão chamados filhos de Deus» (Mt 5, 9). Aos discípulos, pedia-lhes que, ao chegar a uma casa, dissessem: «a paz esteja nesta casa!» (Lc 10, 5). A Palavra de Deus exorta cada crente a procurar, juntamente «com todos», a paz (cf. 2 Tim 2, 22), pois «é com a paz que uma colheita de justiça é semeada pelos obreiros da paz» (Tg 3, 18). E na nossa comunidade, se alguma vez tivermos dúvidas acerca do que se deve fazer, «procuremos aquilo que leva à paz» (Rm 14, 19), porque a unidade é superior ao conflito.[74]

JÁ CHEGA DE VIOLÊNCIA...

JORNADA DE ORAÇÃO PELA PAZ
O Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) apelou à proteção das populações no Médio Oriente e convocou para sábado uma jornada de oração pela paz.

Unimo-nos à Igreja Católica na Terra Santa para deplorar uma nova explosão de ódio e de violência, que mais uma vez está a manchar a Terra Santa de sangue”, assinala um comunicado da presidência do CCEEE, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O dia de oração pela paz na Terra Santa é uma proposta do administrador apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém, D. Pierbattista Pizzaballa.

“A presidência do CCEE, para manifestar a sua convicção que a paz e a vida humana são bens inegáveis e estão acima de todos os interesses nacionais e internacionais, convida as comunidades e indivíduos, também na Europa, a unir-se à oração da Igreja de Jerusalém”, acrescenta a nota.

Os responsáveis católicos propõem aos fiéis que no sábado, véspera da solenidade de Pentecostes, dediquem tempo à “meditação e oração pela paz e à defesa da vida, a todo o custo”.

RECITAÇÃO DO TERÇO

Na passada quarta-feira, na Capela de S. Caetano,
 Com os Ministros Extraordinários da Comunhão.
Meditação dos mistérios gloriosos, nesta Semana da Vida, tendo diante de nós a imensa necessidade que tem o nosso mundo de um testemunho de alegria e de vida, por parte daqueles que encontram em Cristo Ressuscitado a fonte da vida e doa amor, a razão para viver segundo a sua Palavra, como Maria. 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

O CREPÚSCULO DA VIDA

Uma jornada fascinante de uma mãe com 94 anos de idade que enfrenta uma doença terminal e do filho que decide partilhar os últimos momentos da sua vida. Para o filho, o cineasta belga Sylvain Biegeleisen, revelou-se uma oportunidade incrível e maravilhosa de realizar um filme sobre a vida, cheio de emoção e humor.

As canções de Jacques Brel tocadas na guitarra, cigarros e copos de vinho misturam-se com o medo de provocar a ira do vizinho com o ruído. Não é o quarto de um estudante que procura divertir-se mas o de uma mãe de 94 anos de idade que partilha os últimos momentos de vida com o filho. Quando os médicos lhe disseram que a mãe tinha poucos dias de vida, o cineasta belga Sylvain Biegeleisen decidiu filmar esses derradeiros instantes. Para sua surpresa, os dias tornam-se meses, meses cheios de humor, compreensão e ternura. Contra todas as probabilidades, a mãe decidiu não se render ao diagnóstico pessimista do médico e, na presença mágica das câmaras, concede-nos uma extraordinária lição de vida. 

A noção de tempo perde-se na presença desta mulher brilhante. Um documentário cheio de poesia, humor e alegria sobre os últimos momentos, uma ode à Vida.
"Quando o médico me disse que a minha mãe, de 94 anos de idade, tinha apenas umas semanas de vida, deixei a minha casa e vim para a Bélgica para me despedir. Mas a minha mãe decidiu que ainda não estava na hora de partir. Partilhámos semanas e meses de incerteza e mistério. Dei por mim a filmar horas de conversas incríveis, situações divertidas e momentos poéticos. "É um grande desafio para ti", diz a minha mãe no filme. "Mas tens de o fazer de uma maneira forte. Eu construo algo de futuro, não de passado!" disse ela."
Um filme que toca milhões de pessoas que enfrentam hoje o envelhecimento e traz esperança para todos!

CRISTÃOS, MUÇULMANOS, JUDEUS, HINDUS E BUDISTAS UNIDOS CONTRA A EUTANÁSIA

Representantes de comunidades cristãs, muçulmanas, judaicas, hindus e budistas presentes em Portugal assinaram hoje uma declaração conjunta em que rejeitam a legalização da eutanásia no país.

“Em nome da humanidade e do futuro da comunidade humana, causa da religião, sentimo-nos chamados a intervir no presente debate sobre a morte assistida, manifestando a nossa oposição à sua legalização em qualquer das suas formas, seja o suicídio assistido, seja a eutanásia”, pode ler-se no documento.

O texto ‘Cuidar até ao fim com compaixão’, uma declaração do Grupo de Trabalho Inter-religioso Religiões-Saúde, foi assinado e apresentado numa conferência que decorreu na Academia das Ciências de Lisboa.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

EUTANÁSIA, O QUE ESTÁ EM JOGO?

Com a presença da Dra. Maria Manuel Claro, tivmos ontem no Salão Paroquial de Vilar do Paraíso uma conversa sobre a Eutanásia. Em nome da liberdade e da autonomia e também da compaixão, há quem advogue o direito de apressar a morte para acabar com o sofrimento. Para isso pede-se que os médicos acedam ao pedido do doente e atuem ou cooperem para terminar com a sua vida. Será essa uma morte mais digna do que aquela que vem no fim de uma vida que se esgota naturalmente? Há outros meios de silenciar a dor e de acompanhar o doente na sua viagem final com amor e carinho, sem que se sinta um peso completamente inútil. 
 
   
Muito obrigado à Dra. Maria Manuel, que trabalho nos Cuidados Paliativos, pelas suas palavras esclarecedoras. Muito obrigado também à Pastoral da Família por nos terem proporcionado esta ocasião de reflexão.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

A PASTORAL DA FAMÍLIA CONVIDA, toda a comunidade a participar

DEBATE SOBRE A EUTANÁSIA
Hoje, dia 16 de Maio às 21h30, 
no SALÃO PAROQUIAL.
Mas, fundamentalmente, o que mais deveria preocupar os dirigentes sociais é o desaparecimento da ética, estrutura estabilizadora da sociedade, com o consequente confiar ao direito toda a força da regulamentação. É que este só se impõe pela força do direito… penal. O direito é bom, mas desde que não se torne exclusivo: ao confiar-lhe a totalidade da normalização social, abdicamos da força da liberdade constituinte da pessoa em detrimento da normativa exterior e coercitiva. O que vai sempre desembocar no positivismo jurídico, isto é, na aplicação fria da normativa, sem comiseração nem contemplações, como demonstrou o recente caso da criança inglesa Alfie Evans. A eutanásia representa, portanto, um terrível abaixamento do «tónus» moral da sociedade com consequências que, a médio prazo, podem ser dramáticas.

D. Manuel Linda
http://diocese-porto.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=3683:eutanasia-pequeno-contributo-para-um-dialogo-cultural-serio&catid=153:textos-e-apresentacoes&Itemid=242

EUTANÁSIA um «retrocesso civilizacional»


O bispo de Aveiro D. António Moiteiro publicou hoje uma nota pastoral sobre o tema da eutanásia, considerando que a eventual legalização desta prática constituiria um “retrocesso civilizacional” para Portugal.“
(...)
O que deveria estar a discutir-se seriam os modos de atuar para minorar o sofrimento e a dor de quem está perante o limite e a fragilidade”

O bispo de Aveiro entende que a eutanásia, enquanto antecipação da morte, “não poderá, de modo algum, considerar-se uma resposta humanamente adequada”.

“Ela significa abandono, desistência e incapacidade de responder com o cuidado humanizado em favor de quem se encontra em situação de debilidade”.
(...)
“Depois de legalizada, a eutanásia torna-se um horizonte que atinge todos aqueles que, um dia, venham a necessitar dos cuidados de saúde. Não apenas como uma possibilidade, mas como uma tentação: a de eliminar quem passasse a sentir-se como um peso para si próprio e para os demais”.

EUTANÁSIA Perguntas e respostas