domingo, 24 de julho de 2016

TEMPO DE FÉRIAS


Tempo para descansar, 

escutar, orar, viajar...
 até onde puderes chegar.
Vai de coração aberto
e caminha com passo certo.
Traça o rumo da jornada
para que não seja pesada.
Sente a frescura do mar
e a maciez da areia que estás a pisar.
Acorda nas manhãs límpidas das clareiras
e escuta o eco da tua voz nas cordilheiras.
Extasia-te com o Sol durante o dia,
que dará lugar a tardes de aprazia.
Olha as estrelas que brilham sem cessar
e adormece sereno a sonhar…
Acorda, respira fundo, abraça a natureza.
e agradece a Deus tanta beleza!

MM 2016

sábado, 23 de julho de 2016

DOMINGO XVII DO TEMPO COMUM - Ano C

SALMO RESPONSORIAL Salmo 137 (138), 1-3.6-8 (R. 3a) 
Refrão: Quando Vos invoco, 
sempre me atendeis, Senhor. 

De todo o coração, Senhor, eu Vos dou graças, 
porque ouvistes as palavras da minha boca. 
Na presença dos Anjos hei-de cantar-Vos 
e adorar-Vos, voltado para o vosso templo santo. 

Hei-de louvar o vosso nome 
pela vossa bondade e fidelidade, 
porque exaltastes acima de tudo o vosso nome 
e a vossa promessa. 
Quando Vos invoquei, me respondestes, 
aumentastes a fortaleza da minha alma.  

O Senhor é excelso e olha para o humilde, 
ao soberbo conhece-o de longe. 
No meio da tribulação Vós me conservais a vida, 
Vós me ajudais contra os meus inimigos.  

A vossa mão direita me salvará, 
o Senhor completará o que em meu auxílio começou. 
Senhor, a vossa bondade é eterna, 
não abandoneis a obra das vossas mãos. 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

UM BELO VELHO

«No Oriente aprecia-se a velhice porque se pensa que foi feita para orar. Quando se é velho e se percebe Deus próximo através da parede cada vez mais fina da vida biológica, a pessoa torna-se como uma criança consciente que se confia ao pai, alegra-se pela proximidade da morte, transparente a uma outra luz». Por isso todo o monge em que a ascese deu o seu fruto é chamado no Oriente "um belo velho". Belo da beleza que sai do coração.

«Precisamos de velhos que oram, que sorriem, que amam com amor desinteressado, que sabem maravilhar-se. Só eles podem mostrar aos jovens que vale a pena viver e que o nada não é a última palavra».

quarta-feira, 20 de julho de 2016

42º ENCONTRO NACIONAL DE PASTORAL LITÚRGICA


QUARTA-FEIRA da semana XVI

EVANGELHO Mt 13, 1-9

Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-Se à beira-mar. Reuniu-se à sua volta tão grande multidão que teve de subir para um barco e sentar-Se, enquanto a multidão ficava na margem. Disse muitas coisas em parábolas, nestes termos: «Saiu o semeador a semear. Quando semeava, caíram algumas sementes ao longo do caminho: vieram as aves e comeram-nas. Outras caíram em sítios pedregosos, onde não havia muita terra, e logo nasceram porque a terra era pouco profunda; mas depois de nascer o sol, queimaram-se e secaram, por não terem raiz. Outras caíram entre espinhos e os espinhos cresceram e afogaram-nas. Outras caíram em boa terra e deram fruto: umas, cem; outras, sessenta; outras, trinta por um. Quem tem ouvidos, oiça».

terça-feira, 19 de julho de 2016

TRIGÉSIMO ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL

No passado dia 13 de Julho, data do Trigésimo Aniversário de Ordenação Sacerdotal do Rev. Pe. Zé Manel e de D. António Azevedo, a comunidade reuniu-se em agradecimento e louvor, comemorando tão importante data, na celebração da Eucaristia das 19h00, na Capela de S. Martinho.
A presença de D. António é sempre motivo de grande alegria e, particularmente neste dia, em que veio dar graças a Deus com a comunidade de Vilar do Paraíso e celebrar as Bodas de Prata de um casal amigo: Mário Coutinho e Cecília.
D. António a todos saudou com muita amizade, e também feliz por voltar a estar com esta comunidade onde viveu 10 anos da sua vida. Na homilia lembrou-nos a importância das escolhas de cada um, seja na vida consagrada ou em casal. 
E, em qualquer que seja o caminho escolhido, o encontro com Deus só pode acontecer numa atitude de verdade, despojando-nos do nosso orgulho e construindo caminhos de amor, amizade, verdade, fraternidade e respeito. 
Capela cheia, acolhimento feito pelos acólitos pela voz da Ritinha, que ofereceu também uma flor. Presença do Grupo Coral de S. Caetano que animou a celebração, e em acção de graças as palavras sempre bonitas da Fatinha e mais um ramo de flores.
Antes da bênção final, os agradecimentos do Rev. Pe. Zé Manel a D. António, e a partilha de algumas recordações vividas em caminhos que juntos percorreram. 
Foi ainda feito o convite a D. António, para que esteja presente na Sagração do novo Altar da Capela de S. Caetano, nas Festas ao Bom Jesus do Monte e S. Caetano, que vão de decorrer de 5 a 8 de Agosto. 
     
A finalizar, D. António agradeceu o convite, e a presença de todos quantos neste dia estiveram na Capela de S. Martinho.
Ao Rev. Pe. Zé Manel e a D. António, pelo Trigésimo Aniversário de Ordenação Sacerdotal, e ao casal Mário e Cecília, nas suas Bodas de Prata, desejamos as maiores felicidades. 

domingo, 17 de julho de 2016

LECTIO DIVINA

Evangelho Lc 10, 38-42
Rezar a Palavra e contemplar o Mistério

Senhor, peregrino incansável da minha casa, 
mais uma vez a Tua Palavra visita a minha vida.

E vivo a divisão entre laborar a minha hospitalidade 
e submeter-me ao teu acolhimento!

Senhor, que o meu desejo de servir seja 
consequência de ter aprendido contigo o serviço,

Que o meu trabalho, seja fogo do ardor 
pela veemência do Teu Reino,

Que a minha urgência, seja a paz de saber 
que tudo depende ti e que tu contas comigo.

Que a minha alegria seja saber que tu estás presente 
e que posso repartir-te com os outros!

Eis para ti o templo do meu coração: 
aí te quero acolher e acolher cada ser humano que amas.

FOLHA DOMINICAL - informações e reflexões importantes para toda a comunidade

sábado, 16 de julho de 2016

DOMINGO XVI DO TEMPO COMUM - Ano C

SALMO RESPONSORIAL Salmo 14 (15), 2-3a.3cd-4ab.5 (R. 1a) 
Refrão: Ensinai-nos, Senhor: quem viverá em vossa casa? 
Ensinai-nos, Senhor.

O que vive sem mancha e pratica a justiça 
e diz a verdade que tem no seu coração 
e guarda a sua língua da calúnia. 

O que não faz mal ao seu próximo, 
nem ultraja o seu semelhante, 
o que tem por desprezível o ímpio, 
mas estima os que temem o Senhor. 

O que não falta ao juramento mesmo em seu prejuízo 
e não empresta dinheiro com usura, 
nem aceita presentes para condenar o inocente. 
Quem assim proceder jamais será abalado. 

JMJ2016: 1200 jovens de Lisboa a caminho de Cracóvia


Cláudia Lourenço, diretora do SJL, sublinha à Agência ECCLESIA a importância de uma caminhada de preparação centrada no tema da misericórdia: “É chamar a atenção para o outro, aquilo que os jovens podem fazer, ser no mundo sinais de misericórdia para o outro que está ao lado dele”.

Às vezes não é preciso sair do teu país, sair da tua cidade, para seres sinal de misericórdia, porque há tanta gente ao teu lado que precisa disso. As obras de misericórdia são simples de concretizar desde que o nosso coração esteja aberto a isso, a tornar-se mais pequeno, mas ao mesmo tempo maior para acolher mais gente”.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

SERMÃO DA MONTANHA

Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, 
porque deles é o Reino dos céus!

Bem-aventurados os que choram, 
porque serão consolados!

Bem-aventurados os mansos,
porque possuirão a terra!

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, 
porque serão saciados!

Bem-aventurados os misericordiosos, 
porque alcançarão misericórdia!

Bem-aventurados os puros de coração, 
porque verão Deus!

Bem-aventurados os pacíficos, 
porque serão chamados filhos de Deus!

Bem-aventurados 
os que são perseguidos por causa da justiça, 
porque deles é o Reino dos céus!

Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, 
quando vos perseguirem e disserem falsamente 
todo o mal contra vós por causa de mim.

Alegrai-vos e exultai, 
porque será grande a vossa recompensa nos céus, 
pois assim perseguiram os profetas 
que vieram antes de vós.

Mt 5, 1-12

ORAÇÃO PELAS VÍTIMAS DO ATENTADO EM NICE

Todos com o Papa, em oração, união e solidariedade,
para com todas as vítimas e seus familiares. 

quarta-feira, 13 de julho de 2016

MUITO OBRIGADA!

É o sentir agradecido de toda a comunidade, pela presença de D. António Augusto e pelo Rev. Pe. Zé Manel, nosso Pastor, na comemoração do Trigésimo Aniversário de Ordenação Sacerdotal.
Parabéns, muitas felicidades e todas as bênçãos de Deus na continuação do caminho escolhido.

COMEMORAÇÃO do Trigésimo Aniversario de ORDENAÇÃO SACERDOTAL

Rev. Padre José Manuel da Costa Lima 
Vem, Espírito Criador, com a graça multiforme,
iluminar, vivificar e santificar a tua Igreja!

Unida no louvor, ela Te agradece
o dom da Vida Consagrada, concedido e confirmado
na novidade dos carismas ao longo dos séculos.
Guiados pela tua luz e radicados no batismo,
homens e mulheres, atentos aos teus sinais na história,
enriqueceram a Igreja,
vivendo o Evangelho no seguimento de Cristo
casto e pobre, obediente, orante e missionário.

Vem, Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho!

Pedimos-Te que conserves na fidelidade
todos os consagrados;
que eles vivam o primado de Deus nas realidades humanas,
a comunhão e o serviço entre as pessoas,
a santidade no espírito das bem-aventuranças.

Vem, Espírito Paráclito, amparo e consolação do teu povo!

Infunde nos consagrados a bem-aventurança dos pobres
para que caminhem na senda do Reino.
Dá-lhes um coração consolador
para que enxuguem as lágrimas dos últimos.
Ensina-lhes a força da mansidão
para que neles brilhe a Senhoria de Cristo.
Acende neles a profecia evangélica
para que abram caminhos de solidariedade
e saciem expectativas de justiça.
Derrama nos seus corações a tua misericórdia
para que sejam ministros de perdão e de ternura.
Reveste a sua vida com a tua paz
para que, nas encruzilhadas do mundo,
possam falar da bem-aventurança dos filhos de Deus.
Fortifica os seus corações nas adversidades e tribulações;
que eles se alegrem com a esperança do Reino futuro.
Associa à vitória do Cordeiro os que, por amor de Cristo
e do Evangelho, estão marcados com o selo do martírio.

Possa a Igreja, nestes seus filhos e filhas,
descobrir a pureza do Evangelho
e a alegria do anúncio que salva.

Maria, primeira discípula e missionária,
Virgem que Se fez Igreja,
interceda por nós.
Ámen.

(Papa Francisco)

FELICITAÇÕES: ao Rev. Pe. Paulo Teixeira e Rev. Pe. João Pedro

Também neste dia, felicitações ao Rev. Pe. José Paulo de Sousa Teixeira, Pároco de Santo Tirso e de S. Miguel do Couto, que celebra hoje o décimo nono Aniversário de Ordenação Sacerdotal. 
E ao Rev. Pe. João Pedro Serra Mendes Bizarro, Pároco de Arouca, Santa Eulália de Arouca e Rossas. Assistente do Núcleo Sul do CNE e Juiz do Tribunal Eclesiástico, que festejou no dia 6, o décimo terceiro Aniversário de Ordenação Sacerdotal, e a 13 de Julho, celebrou a sua Primeira Missa, no Parque de S. Caetano.

ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL de D. ANTÓNIO AUGUSTO

Recordamos também D. António Augusto Azevedo, que com o nosso Pároco celebra também o trigésimo aniversário de Ordenação Sacerdotal, e estará na Eucaristia das 19h00, na Capela de S. Martinho, com toda a comunidade de Vilar do Paraíso.

TRIGÉSIMO ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO SACERDOTAL

Neste dia 13 de Julho, felicitamos o nosso Pároco pelo Dom do Sacerdócio, traduzido em missão evangelizadora e vida de dedicação ao próximo.
Às 19h00, na Capela de S. Martinho, toda a comunidade se reunirá em comunhão e oração à volta da Mesa da Eucaristia, louvando e agradecendo a Deus a presença entre nós do Rev. Padre José Manuel da Costa Lima.

FOLHA DOMINICAL - informações e reflexões importantes para toda a comunidade

 

DIA DA COMUNIDADE: TENDA DO SANTÍSSIMO

 Silêncio e Oração
 Junto de Jesus Sacramentado
Homenagem e Memória  por todos os que partiram
para junto do Deus. 

10 DE JULHO, DIA DA COMUNIDADE

 
Símbolos das Obras de Misericórdia
apresentados por alguns grupos.
 
 
 

DIA DA COMUNIDADE: DOMINGO XV DO TEMPO COMUM - Ano C

Salmo Responsorial  18 B, 8-11 (R. 9a) 
Refrão: Os preceitos do Senhor alegram o coração

A lei do Senhor é perfeita, 
ela reconforta a alma. 
As ordens do Senhor são firmes 
e dão sabedoria aos simples. 

Os preceitos do Senhor são rectos 
e alegram o coração. 
Os mandamentos do Senhor são claros 
e iluminam os olhos. 

O temor do Senhor é puro 
e permanece eternamente. 
Os juízos do Senhor são verdadeiros, 
todos eles são rectos.  

São mais preciosos que o ouro, 
o ouro mais fino; 
são mais doces que o mel, 
o puro mel dos favos. 

DIA DA COMUNIDADE: CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA

No Domingo, 10 de Julho, Dia da Comunidade, estivemos unidos numa só alma e num só coração, participando no momento mais importante do dia, que foi a celebração da Eucaristia. Os nossos escuteiros – de que já publicamos imagens -  e os acólitos deram grande brilho à procissão de entrada, em que o coro assumiu também um papel primordial pela beleza da música e da palavra cantava. 
No altar, inscrita na toalha que o cobria a 4ª Obra de Misericórdia Espiritual: “Consolar os Tristes”. Neste domingo especial, usa-se o incenso para a “purificação”, e como símbolo das nossas orações elevadas ao céu com o seu fumo. "Suba a minha prece como incenso à tua presença, minhas mãos erguidas como oferta vespertina" Sl140, 2.
No momento penitencial, apresentação e encenação da 5ª Obra de Misericórdia Espiritual: "Perdoar as Injúrias. 
A Liturgia da Palavra, sempre tão rica de significado, neste dia interpela cada um de nós enquanto cidadãos e muito particularmente enquanto crentes e pertença de uma comunidade. Se a primeira leitura (Deut 30, 10-14) nos dizia «Escutarás a voz do Senhor teu Deus, cumprindo os seus preceitos e mandamentos que estão escritos no Livro da Lei, e converter-te-ás ao Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma.» «Esta palavra está perto de ti, está na tua boca e no teu coração, para que a possas pôr em prática».
O Evangelho (Lc 10, 25-37), com a parábola do bom samaritano, a palavra de Jesus desafia-nos, interpela-nos e questiona-nos. Era suposto que não fosse o samaritano a compadecer-se de um homem caído na beira da estrada, ferido e maltratado, mas sim o sacerdote e o levita, que por força das suas práticas e convicções religiosas, estivessem atentos àquele irmão. 
Porém - tal como nós tantas vezes - apressados, passaram adiante… era certamente a hora de cumprir o ritual! Esquecendo que o mandamento fundamental é: “amar a Deus e ao próximo como a si mesmo”
Ficaram assim pelo acessório, centrando-se numa fé ritualizada mas sem compromisso com os mais frágeis, com os que precisam de amor, atenção, cuidado e compaixão.
Fica, pois, também para nós a mesma questão: Quem é o meu próximo? O que posso fazer por ele? A resposta é-nos dada por Jesus… “Vai e faz o mesmo”, ou seja:  ama, ampara, cuida, encontra-te com o teu irmão, o teu próximo. 
Sejamos sempre samaritanos, pratiquemos as Obras de Misericórdia que neste Ano Santo, e neste Dia da Comunidade nos foram mais uma vez propostas, e teremos cumprido dignamente a nossa missão na terra. 
Nesta Eucaristia, tivemos ainda a felicidade de acompanhar um casal a celebrar as suas bodas de prata, a quem desejamos as maiores felicidades.